Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


16
Mai20

Edição de Vida

Diário de um louco

por Patrícia Fragoso

 

Hoje acordei com a sensação de estar solteiro, completamente divorciado da realidade.

Estranho não saber se a verdade talvez só tenha um nome – passado – e se a realidade pela qual desfilo agora, apenas cheira a ficção. Científica ou não, distinguir o real do irreal nunca outrora tinha sido tão complicado.

Neste espaço fechado, onde só se ouve a água a correr, sinto uma calma extrema, um sinal de virilidade estonteante. Água é vida, dizem. Só assim me sinto realmente vivo, ouvindo a água a correr.

Será este o significado da palavra liberdade? Se assim for, confesso que me sinto livre.

Fechei a água, já corria há muito tempo e vida não se pode desperdiçar.

Esta roupa talvez seja adequada, o tempo está meio incerto e a manga comprida é necessária. As calças de bombazine fazem parte da minha imagem de marca e sapatos clássicos com brilho, embora digam que possa não combinar, fazem com que me sinta especial.

Foi o meu avô que me ofereceu, mas os lá de fora não sabem e eu também faço questão de não contar. Mas... não sei onde pôr os pés, o chão sabe a hora de contágio e não quero expor a isso os meus sapatos.

Já não os exponho a ninguém. Já não conto nada a ninguém. Já não dirijo a palavra a ninguém. Já ninguém sabe como sou por dentro. Já ninguém me conhece porque não me dou a conhecer. Estou sozinho, embora tenha vida.

Já não canto, já não danço, já não converso, já não me interesso, já não me sinto. Minto!

Tinha considerado em sair de casa agora, mas não me posso cruzar com aquilo que está no exterior.

Volto a despir-me. Já ouço a torneira a correr.

21
Mar20

Baco

por Patrícia Fragoso

 

 

Por ti dei tudo o que podia

E findou por ficar na melancolia.

Se desta for um “adeus”, não me voltes a dizer “olá”

Porque não sabes, nem sentes a mossa que isto me faz por cá.

Tornei-me numa personagem que nunca quis ser

Fiz de fantoche, mimo, boneco de trapos e tudo sem querer.

Dizias que por ela estava louco,

Que não saía deste sufoco

E não percebias o que estava a sentir,

Quando eu sei que no fundo, era só uma desculpa

Porque o teu melhor passatempo era baseado na palavra “mentir”.

Talvez mais tarde entendas o que me foi na alma,

Dizem que o tempo tudo leva, tudo acalma,

E por ela vou fingindo estar apaixonado.

Fico longe daqui, já que contigo não chegava a ir a qualquer lado.

Não bebo para festejar, acredita

E espero que a história não se repita

Porque me sinto completamente acorrentado.

Talvez daqui a uns anos, quando tiveres tu outros planos,

Acabes por entender

Que o tempo que me restava, era com ela que passava

Na esperança de te conseguir esquecer.

Agora, à beira do abismo,

Entrego a minha alma ao além,

Estou a suavizar com este eufemismo,

Mas dou-te um conselho:

Nunca te apaixones por ninguém!

Fiquei acabado e interdito ao amor

Com as lágrimas que derramo com a ajuda deste álcool em estado puro,

Que é o mais próximo que tenho do teu calor.

Fica na tua consciência plena

Se achas que os anos passados foram os corretos,

Errei vezes sem conta, mas foram os meus prediletos.

Elogiava a pessoa perfeita que criei na minha cabeça

Já te desejei muito mal, mas prevejo que isso não te aconteça.

Vou ficando por aqui, a agarrar na próxima litrosa.

Sabes onde paro, onde estou,

Não vou mais à tua porta para dar show,

Nem me venhas procurar, toda chorosa.

Odeio-te, porque a tua carência é tão intensa como a tua presença.

04
Mar20

Conversas D'Avó N'e III

por Patrícia Fragoso

Olá!

Tenho andado com alguma falta de tempo, o que acaba por negligenciar um pouco esta parte (que tanto gosto e me faz bem). 

Não pensem que me tenho esquecido do blog!

Por falar em esquecimento, nada melhor do que mais uma sessão de "Conversas D'Avó Né". 

Espero que gostem dela, tanto quanto eu!

Um beijo!

 

 

23
Jan20

Vazio

por Patrícia Fragoso

 

Estou há horas neste espaço, já conversei com tanta gente, já bebi o meu copo de vinho. Todos devem estar com roupa aparentemente cara, e certamente que estão a condizer com este salão enorme e bem decorado. Ouço risos, está tudo feliz, alguns embriagados, outros disfarçando a sua sobriedade com o barulho das luzes.

O sufoco das luzes, a cor das luzes enraizada num espetro que se resume a negro, na minha mente.

Uma vida monocromática, onde há dias claros e dias escuros, onde há dias em que o claro quase que se mistura com o escuro, mas mesmo assim o cinzento não quer aparecer.

Onde estão os candeeiros desta sala?

Eu juro que não bebi mais nada a não ser este copo de vinho! E nem este vinho eu sei de que cor é ...

Alguém me diz onde está o interruptor? Só vejo o vazio.

19
Jan20

Foi Jogo Duplo

por Patrícia Fragoso

Peço perdão por te continuar a mentir. (...) Nada me justifica e o tempo só me condena.

Jogo Duplo, de Patrícia Fragoso 

em "Somos mais do que histórias - Volume III"

Podem adquiri-lo em: 

Loja Online da Cordel d'Prata

SMDQH3-600x933.png

 

04
Jan20

Memória de Peixe

por Patrícia Fragoso

 

Sinto-me doente. Julgo que ninguém mo disse, mas eu sei que estou doente. É premonição!

E não, não é sem nexo que o digo. Agora estou lúcida, num estado pleno, contudo só agora, pois daqui a uma hora não sei o que será de mim. Deixa-me contar-te, antes que se faça tarde, antes que o sol se ponha e não consiga sequer raciocinar.

A noite dá cabo de mim, a noite que devia ser apenas a noite, é escura e traz com ela o vazio. A ignorância também é uma doença e amanhã, logo pela alvorada, estarei um bocadinho mais ignorante e o pior é que eu vou saber disso, mas só de manhã. Está a dar comigo em louca esta sensação de desconhecimento. Cérebro, o que te aconteceu? O que te levou de mim? O tempo? O coração?

Já nem sei tomar decisões, perdi o controlo da minha própria existência e estou acorrentada a este corpo e mente doente.

Talvez esta seja a minha paga do passado, pelos meus lapsos, por ter deixado alguém de lado, mas não me peças que me lembre! Quanto mais tempo perco ao tentar recordar-me, mais tarde fica. Ahhhh e eu nem quero comprimidos, químicos que me matam mais rapidamente do que o sol se põe. A doença do pôr do sol que me afeta todo o dia. Há uma coisa que me inquieta, que mexe comigo enquanto estou sã, é que os sujeitos dão opiniões sobre isto e eu não me recordo de ter pedido o que quer que seja. Alguém me traga o consciente de volta, e isso sim, eu estou a pedir!

Possivelmente tenha a cura: trocar o meu nome para “Alzheimer” e esperar pela noite para que todos me esqueçam.

31
Dez19

Conversas D'Avó Né - Fim de Ano

por Patrícia Fragoso

A Ayla Conta que a Avó Né deseja a todos um feliz ano de 2020!

Por mais leituras neste ano que se avizinha, por mais benevolência com aqueles que originaram e ajudam a criar a nossa própria história!

12
Dez19

Encontro de Natal 2019

por Patrícia Fragoso

Este mundo, onde acabei de entrar, está a tornar-se cada vez mais fascinante! 

Primeiro, a criação deste blog, que tanto gosto me dá! Alimentá-lo é um desafio constante, cujo crescimento não depende só de mim, mas dos olhares atentos de quem por aqui passa. 

Depois, a descoberta daquela que chamo de "minha editora", a Cordel d'Prata. Foi ao acaso que a descobri e tenho a certeza de que estou em boas mãos! 

Recebi, da parte deles, um convite que não consegui recusar! Passar um dia na cidade de Óbidos, na companhia de dois autores incríveis: Ana Paula Guerreiro e Diogo Simões. Fizemos um passeio pelas lojas, comemos castanhas assadas, visitámos o Hotel The Literary Man e, por fim, a tão esperada troca de prendas!

Aqui fica um cheirinho do que se passou nesse dia! Espero que gostem tanto como eu!

 

 

10
Dez19

Onde podem ver o Sol?

por Patrícia Fragoso

No passado dia 7 de Dezembro, o Sol saiu à rua! Quem disse que os gatos não gostam de passear?

A verdade é que ele está preparado para iluminar tantas casas e partilhar a sua história. 

Os direitos de autor revertem, na totalidade, para a associação Gatos do Jardim, em São Pedro do Estoril, no concelho de Cascais.

Se quiser encontrá-lo online:

- Cordel D'Prata

https://cordeldeprata.pt/livraria/sol-o-gato-poeta/

- Wook 

https://www.wook.pt/livro/sol-o-gato-poeta-patricia-fragoso/23643017

- Bertrand Livreiros

https://www.bertrand.pt/livro/sol-o-gato-poeta-patricia-fragoso/23643017

Caso prefira dar-lhe umas festinhas:

- RG Livreiros, em Cascais

- Livraria Lusitana, na Figueira da Foz

- Gatos do Jardim, em São Pedro do Estoril

Ele vai andar a passear por mais sítios. Vou colocando aqui a sua rota!

60-capa-600x712.jpg

 

 

09
Dez19

Obrigada! ❤️

por Patrícia Fragoso

20191207_183648.jpg

Que sonho! Que dias incríveis e iluminados!
Tenho andado a mil, mas como o tempo é amigo do dia, não há qualquer problema com a hora!
No dia 7 de Dezembro de 2019, tive a oportunidade de rever amigos que há muito não via, de guardar milhares de fotos para recordações, foi um dia com muito festejo e recheado de emoções!
O que levamos da vida é mesmo isto: momentos únicos, bons amigos e diversão. Mesmo que esse dia tenha tido fim, acreditem que o levarei para sempre no coração!
Em relação ao amanhã, eu não sei, mas tenho uma certeza: o “Sol” irá comigo para todo o lado!
O “Sol” fez-me conhecer gente que acredito que esteja em vias de extinção: a Ines Neuparth, a Nélida Lopes Vinhal e a Barbara Korman – as melhores amigas dos animais (Gatos do Jardim); o Luis Rodrigues – um excelente profissional e humano; o Mário Ferreira da Cordel D' Prata– com um sentido estético do outro mundo; a Sara Teixeira da Cordel D' Prata – o meu apoio na comunicação; a Ana Paula Guerreiro - mesmo não estando presente, enviou boas energias através do seu lindo cérebro; o Diogo Simões – cruzámo-nos numa ida a Óbidos e descobri um autor riquíssimo, cujas palavras são tão boas de saborear; entre outros.
Acreditem que o “Sol” foi muito mais do que um livro para mim, pois consegui subir patamares que jamais imaginei. Tudo isto, porque os gatos não têm vertigens e, a partir de agora, não tenciono olhar para baixo!
Estou bastante agradecida a cada um de vocês, por terem um significado especial na minha vida!
Foi só o começo! ❤️

 

 

 


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. JAN
  3. FEV
  4. MAR
  5. ABR
  6. MAI
  7. JUN
  8. JUL
  9. AGO
  10. SET
  11. OUT
  12. NOV
  13. DEZ
  14. 2019
  15. JAN
  16. FEV
  17. MAR
  18. ABR
  19. MAI
  20. JUN
  21. JUL
  22. AGO
  23. SET
  24. OUT
  25. NOV
  26. DEZ